ESTRUTURA CURRICULAR

Atualizada em 16/08/22 14:54

A estrutura curricular do PPGACV é composta por disciplinas obrigatórias e eletivas.

Para o curso de mestrado, aluno deverá cumprir duas disciplinas obrigatórias e um mínimo de três eletivas, totalizando 20 créditos.

Para o curso de Doutorado, o aluno deverá cumprir três disciplinas obrigatórias e um mínimo de três eletivas, totalizando 24 créditos.

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINAS ELETIVAS
  • Arte e Cultura Visual - Perspectivas Teóricas e Críticas
  • Metodologia de Pesquisa em Arte e Cultura Visual
  • Seminário Avançado de Pesquisa em Arte e Cultura Visual (obrigatória para doutorandos e eletiva para mestrandos)
  • Estágio Docência (obrigatório para doutorandos bolsistas)
  • Tópicos Especiais - A
  • Tópicos Especiais - B
  • Tópicos Especiais - C
  • Estágio Docência

 

 

DISCIPLINAS OFERTADAS - 2022/2

* em breve serão divulgados os planos de ensino. 

 

 

ACV0056 -  SEMINÁRIO AVANÇADO DE PESQUISA EM ARTE E CULTURA VISUAL

Disciplina Obrigatória - Ensino Presencial
Carga horária/Créditos:  64h/04 créditos 
Professor: Samuel José Gilbert de Jesus
Ementa :: Discussão sobre investigações e práticas metodológicas de estudos desenvolvidos nas Linhas de Pesquisa do PPGACV. Análise e reflexão sobre orientações epistemológicas e procedimentos de pesquisas em andamento.
2ª feira -  14 -18h - Início das aulas em 15/08 - Sala 19

 

ACV1868 - TÓPICOS ESPECIAIS B

Disciplina Eletiva - Ensino Remoto
Carga horária/Créditos:  64h/04 créditos
Professora: Gazy Andraus
Ementa : Investigação de processos de criação e estudo de articulações entre teorias, narrativas, linguagens, técnicas, materiais e suportes na produção de poéticas artísticas e visualidades. Temas variados:2.1 Atos Autobiográficos e Práticas Decoloniais 2.2 Narrativas Híbridas, Arte Sequencial & Transmídia 2.3 Representações audiovisuais sobre alteridade
TemáticaArtezines: zines, fanzines e biograficzines como expressão criativa e artístico-autoral.

Descrição: A disciplina, em duas partes, aborda o universo teórico e prático dos fanzines e suas mutações, chegando aos zines de arte (artezines).

·         Na primeira, pretende-se traçar um histórico-documental acerca dos fanzines (zines, biograficzines/perszines e congêneros), as “revistas do fã”, incluindo os atuais artezines (de caráter artístico), a partir de leitura e visualização de fanzines, textos, livros teóricos e vídeos com conteúdo de pesquisadores, faneditores e fanautores (fanzinato em geral).

·         Na segunda, intenta-se a produção de um artezine (ou artebiograficzine) autoral a partir do teorizado (acompanhado de atividades criativas zineiras) que consiste numa revista artística autoeditada (em solo, em dupla e/ou em grupo), que existe em paralelo à publicação dita oficial. Os zines (e afins) são revistas paratópicas cujo conteúdo libertário-caótico-criativo se apresenta como autopublicação não-oficial, amadora, individual, em dupla e/ou em grupo, passando por temas e formatos distintos e artísticos, desde a ficção, ficção fantástica, quadrinhos, poesias, música, cinema, biográfico, anárquico, ativismo etc, abrangendo as expressões das artes, como Histórias em Quadrinhos (HQs), poesias, ilustrações, contos, gravuras e outras, bem como inserções críticas, tais quais textos, entrevistas, resenhas e artigos teórico-reflexivos. Na atualidade há também eventos e espaços como feiras e fanzinotecas, no Brasil e no mundo, ampliando a importância do universo zineiro. Na interdisciplinaridade do fanzinato, imbuído de um sentido fraternal e criativo, e por não se visar lucro, propicia-se uma visão inclusiva e intercambiável de idéias, conceitos e expressões artísticas, dirimindo barreiras físicas e sociais, ampliando e permutando conhecimentos e informações atinentes ou à margem das áreas do ensino em geral, desde o escolar, universitário à pós-graduação. Tal  reconhecimento e aplicação do fanzine e suas variantes na forma e conteúdo, auxilia assim, no desenvolvimento de percepções e aptidões artísticas, muitas vezes estagnadas ou engessadas pelo status quo - social ou acadêmico - limitado a um cotidiano formal e cartesianamente obliterante.

3ª feira - 08h às 12h - Início das aulas em 16/08

 

ACV1891 - TÓPICOS ESPECIAIS B

Disciplina Eletiva - Ensino Presencial
Carga horária/Créditos:  64h/04 créditos
Professora: Rosa Maria Berardo
Ementa : Investigação de processos de criação e estudo de articulações entre teorias, narrativas, linguagens, técnicas, materiais e suportes na produção de poéticas artísticas e visualidades. Temas variados:2.1 Atos Autobiográficos e Práticas Decoloniais 2.2 Narrativas Híbridas, Arte Sequencial & Transmídia 2.3 Representações audiovisuais sobre alteridade
Temática: Arte e Visualidades: Imagem em movimento

Descrição: Representação, identidade e alteridade: narrativas imagéticas produzidas através de câmeras DSRL e dispositivos móveis. Estudo e prática de filmes de autorrepresentação.

3ª feira - 14h às 18h Início das aulas em 16/08 - - Sala 19

 

 

ACV1870 - TÓPICOS ESPECIAIS C

Disciplina Eletiva - Ensino Remoto
Carga horária/Créditos:  64h/04 créditos
Professora: Leda Guimarães e Rosana Gonçalves da Silva
Ementa :Disciplina de conteúdo programático flexível. A cada semestre poderão ser oferecidos Tópicos Especiais em temas relacionados às pesquisas atuais dos professores. Dependendo do tema a ser abordado o professor indicará bibliografia referente.
Temática: Arte, Educação e Ecologias

Descrição:

A disciplina Arte, Educação e Ecologias propõe um percurso reflexivo e criativo sobre as relações das Artes e das Culturas Visuais e as Ecologias humanas, Educação ambiental, Meio ambiente, Cultura, Interculturalidade, Espiritualidade, Decolonialidade e os Comuns (Commons).  Propõe, ainda, algumas trilhas para sentipensar as existências, as resistências e processos de aprendizagens coletivas nas relações entre arte e ativismo a partir do trabalho de Pessoas, Pesquisadores, Docentes, Artistas e Arte/Educadores Ambientais convidados para participar nas aulas. O processo considera as poéticas circulares, promovendo a diversidade de ensinamentos e aprendizagens, sentidos, sabedorias, ancestralidades, temporalidades, tecnologias, dentre outras emergências contemporâneas no trato com a arte, educação e as ecologias com as questões ambientais e com a natureza.

 

O conteúdo será trabalhado em três ciclos, a serem vivenciados coletivamente em um ambiente relacional, envolvendo e interrelacionando Arte, Educação e as Ecologias, Meio Ambiente, Cultura e Educação na produção coletiva de conhecimento, reflexão sobre a formação humana e criação artística, ampliando as possibilidades de leituras inter e transculturais no campo das Artes e das Culturas Visuais.

 

  • Ciclo 1: Arte, Criatividade e Ecologias humanas. Arte e os Comuns (Commons); Arte para a comunicação das ciências.
  • Ciclo 2: Arte, Educação e práticas de fluxo: Experiências em Educação Ambiental - Arte Educação Ambiental. Arte, EA e Movimentos Sociais. Arte Educação Ambiental: contexto de investigação.
  • Ciclo 3: Arte, Políticas de existências e resistências: Arte e Educação na Cosmopercepção indígena.  Arte, Decolonialidade e antirracismo. Arte, Gênero, Educação e Ativismo curadorial. Arte e natureza: ressignificar para viver.
5ª feira - 14h às 18h Início das aulas em 11/08